ADEUS, VELHO MESTRE!

Publicado: 6 de dezembro de 2012 em crônica, notícia
Tags:, , , , , ,

“A gente tem que sonhar,Oscar Niemeyer senão as coisas não acontecem”  – Oscar Niemeyer

Morreu hoje aos 104 anos, a dez dias de completar 105, devido a uma infecção respiratória, o arquiteto Oscar Ribeiro de Almeida Niemeyer Soares, ou simplesmente, Oscar Niemeyer.

Oscar Niemeyer foi um dos maiores, e a quem diga que foi o maior, arquiteto do mundo. Com seu jeito diferente e inovador de enxergar a construção civil, ele reinventou o modo de se fazer arquitetura. Se antes os edifícios eram levantados em linhas retas, hoje, essas linhas ganharam curvas graças a mão desse gênio brasileiro.

Oscar Niemeyer nasceu no Rio de Janeiro, em 15 de dezembro de 1907. Casou-se aos 21 com Anita Baldo, com quem teve sua úncia filha, Anna Maria Niemeyer, que por sua vez deu ao arquiteto cinco netos, treze bisnetos e quatro trinetos. Oscar ficou viúvo em 2004 e se casou novamente em 2006 com sua secretária, Vera Lúcia Cabreira, que na época tinha 60 anos.

Oscar Niemeyer

Oscar Niemeyer

Niemeyer formou-se engenheiro e arquiteto em 1934 na Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro. Desde cedo se inspirava em curvas para fazer seus desenhos. Segundo o próprio “Não é o ângulo reto que me atrai, nem a linha reta, dura, inflexível, criada pelo homem. O que me atrai é a curva livre e sensual, a curva que encontro nas montanhas do meu país, no curso sinuoso dos seus rios, nas ondas do mar, no corpo da mulher preferida.”

Ainda na década de 1930 Niemeyer resolve trabalhar sem remuneração no escritório do arquiteto Lúcio Costa, um dos mais famosos arquitetos brasileiros da época.  E foi a partir desta iniciativa que tudo aconteceu…

Em 1937, Niemeyer elabora seu primeiro projeto, o edifício-sede da Obra do Berço do Rio de Janeiro. Detalhe que até hoje, 75 anos depois, a fundação ocupa o lugar.

Igreja de S. Francisco de Assis - Pampulha

Igreja de S. Francisco de Assis – Pampulha

O primeiro grande projeto de Niemeyer foi o Conjunto Arquitetônico da Pampulha, em Belo Horizonte, capital das Minas Gerais. O projeto foi encomendado pelo então prefeito da capital mineira,   Juscelino Kubitschek, que desejava desenvolver a região norte da capital, e ali construiu uma lagoa artificial e então encomendou este grande projeto ao arquiteto para o entorno da lagoa.  A construção foi feita entre 1942 e 1944. O Conjunto da Pampulha conta com um Cassino (que desde 1957 funciona como museu), a Casa do Baile (desativada em 1948), a Igreja de São Francisco de Assis e o Iate Tênis Clube.

Em 1947, Niemeyer já é um arquiteto com reconhecimento internacional. Tanto que é chamado para compor a equipe de arquitetos mundiais que viria a desenvolver a sede das Nações Unidas. Niemeyer viaja aos Estados Unidos e tem seu projeto aprovado e junto com um grupo que reunia gente de todas as partes do mundo, ajuda a construir a sede da ONU.

No começo da década de 1950, Niemeyer é convidado a projetar o Conjunto do Parque do Ibirapuera, em São Paulo, em homenagem aos 400 anos da fundação da cidade que seriam comemorados em 1954. O complexo é formado por vários edifícios, entre eles: o Pavilhão da Bienal, o Museu de Arte Moderna, o Ginásio de Esportes, entre outros.

Para a mesma comemoração dos 400 anos da cidade de São Paulo, o arquiteto constrói o prédio do Copan que é a maior estrutura de concreto armado do Brasil.

Congresso Nacional

Congresso Nacional

Mas com certeza, o auge da carreira de Oscar Niemeyer foi a construção de Brasília. Niemeyer dividiu o projeto da construção da capital federal com Lúcio Costa, seu antigo patrão e que ficou com o projeto da cidade, enquanto a Niemeyer coube o projeto dos edifícios. Por meio de suas mãos foram projetados prédios que fazem parte hoje do dia-a-dia da vida política do país, entre eles o Palácio da Alvorada (residência do Presidente), o Palácio do Planalto (sede do Governo Federal),  o Edifício do Congresso Nacional (Câmara dos Deputados Federais e Senado Federal), a Catedral de Brasília, os prédios dos Ministérios e a praça dos Três Poderes.

Impedido de trabalhar no Brasil pela Ditadura Militar, Niemeyer se exila para a Europa no ano de 1966. Lá ele faz projetos para a França, Portugal, Espanha, Itália e inclusive uma revolucionária mesquita para a cidade de Argel, capital do país africano Argélia.

Marquês de Sapucaí

Marquês de Sapucaí

De volta ao país, Oscar Niemeyer projeta os CIEP’s (Centros Integrados de Educação Pública), que foram apelidados popularmente de Brizolões, e eram escolas de ensino em horário integral, oferecendo além das matérias normais a vida do estudante, estudo religioso, atividades culturais e esportivas. Além dos CIEP’s, o arquiteto projetou também o Sambódromo do Rio de Janeiro, na avenida Marquês de Sapucaí. Curiosamente, o projeto do Sambódromo carioca só foi totalmente executado esse ano, após a implosão da antiga fábrica da Brahma, ainda em tempo do mestre poder contemplar o projeto que o mesmo idealizou.

MAC Niterói

Museu de Artes Contemporâneas de  Niterói

Em Niterói, o arquiteto projetou o Caminho Niemeyer, onde a cereja do bolo é o Museu de Arte Contemporânea de Niterói, o local do museu foi escolhido pelo próprio após um passeio de carro na região. Outras construções são a Praça JK, o Memorial Roberto Silveira, o Teatro Popular de Niterói , a Estação Hidroviária de Charitas e o Museu Petrobras de Cinema.

Niemeyer realizou muitas outras obras… só para citar mais algumas: o Memorial JK, a Arena de Rodeios de Barretos, o Memorial da América Latina, o Terminal Rodoviário de Londrina, o Sambódromo do Anhembi em São Paulo e já aos 103 anos, aceita o desafio de projetar o Museu Pelé em homenagem ao Rei do Futebol.

As obras de Niemeyer se espalham por diversos lugares…. seu talento é reverenciado em todo o mundo… seu legado não terá fim… seu nome está escrito na história… gravado nas suas curvas e em seus traços… Uns fazem arte com palavras, outros com música, outros ainda com pinturas, esculturas.. Niemeyer fazia arte em concreto…

Felipe Araujo

Anúncios
comentários
  1. […] Uma pequena homenagem a Oscar Niemeyer… — Continue lendo em Salada Mista […]

  2. Nossa, bela matéria.
    Eu sabia da grandiosidade do Niemeyer mas não tanto. Gostei do texto ao mesmo tempo que aprendi um pouco mais da história deste grande arquiteto. 🙂

    Abraços.

  3. Pedro Paixao disse:

    A grande maioria das pessoas zoavam ele de papagaio, tartaruga e Matusalém, isso não fez de ninguém intimo do cara para ficar essa série de homenagens pessoais sofridas e tendenciosas, muito menos pesquisar a vida toda do cara no Wikipedia agora é sinal de respeito, respeito esse que foi merecido ainda em vida… no mundo em que vivemos é necessário morrer pra agregar valor de quem não se espera… isso é triste. Descanse em paz Niemeyer.

  4. Aline disse:

    Conhecia bem pouco da história dele e algumas obras também. Foi uma ótima homenagem e pude aprender um pouco mais dele. Vai ficar marcado na história esse extraordinário arquiteto.

  5. Yohan disse:

    eh… posso n concordar com muitas das opinioes pessoais
    mas oq vc disse la no final eh verdade tb… muitos fazem arte com música, pinturas, esculturas… n eh q seja fácil… mas são todas coisas voltada ou para o entretenimento, ou para o próprio deleite visual… ele fazia arte com coisas úteis, práticas…necessárias
    como profissional, idolatrável realmente…

  6. Izadora disse:

    Homenagem mais que merecida…saudações à um homem que sonhou, sonhou com um país melhor, lutou e muitas coisas realizou…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s